Revivendo o caminho – Quarto Dia

Comecemos as narrativas à respeito do quarto dia de caminhada!

O relato desta fez, volta as emocionantes palavras do caminhante Everardo de Aguiar Lopes.

Confira:

“No quarto dia já estávamos engolidos pelo sertão, ou quase! E se o sertão é do tamanho do mundo, cada caminhante agora tinha o mundo dentro de si!

DSC_8815

” E se o sertão é do tamanho do mundo, cada caminhante agora tinha o mundo dentro de si!” Foto: Lidyane Ponciano

O simples ficar calado colocando os pensamentos em ordem, coisa que alguns não faziam há muito tempo, agora passou a ser o perturbador saber OUVIR, ouvir as batidas aceleradas do coração, o soprar do vento, ouvir as histórias dos dias anteriores, ou simplesmente ouvir o repetido e ritmado som do cajado enterrando a cada passo na areia fofa!

Agora, o caminho longo de areia fofa até a chapada gaúcha, o sol escaldante, o céu azul, a vereda lá longe, o clik das máquinas de alguns caminhantes e o olhar profundo e silencioso do retorcido, seco e generoso cerrado em direção aos nossos passos, sendo engolidos pela areia fofa, chamando a atenção de cada um, lá no seu íntimo a sentir as mudanças profundas e rápidas que estão acontecendo no segundo maior Bioma do Brasil, e proporcionalmente com a maior biodiversidade vem sofrendo nos últimos 50 anos!

_MG_8442

“…sendo engolidos pela areia fofa, chamando a atenção de cada um, lá no seu íntimo a sentir as mudanças profundas e rápidas que estão acontecendo…” Foto: NINJA

Esse olhar, como dos nossos avós, é suficiente para nos dizer que temos a responsabilidade de gritar em nossas redes sociais, para que o mais surdo dos congressos nacionais possa ouvir o barulho que o agronegócio e a monocultura como eixo central de crescimento econômico a qualquer custo causam negativamente a centenas de vidas, de várias espécies que durante milhares de anos permite a convivência conflituosa, mais equilibrando a vida sempre em movimento!

_MG_8472

“…mais equilibrando a vida sempre em movimento!” – Foto: NINJA

Esse movimento é intenso, mexe, provoca, transforma cansaço em prazer, as dores em pontes entre as pessoas e o caminho, faz números, personagens da região e datas frias virarem poesias, guias serem guiados e histórias locais serem valores universais, até que o relógio do sonhador grita; Gente tá na hora! E aí, outro silêncio vem chegando, a luz diminuindo, a lua se aproximando e os corpos lentamente jogados entre a alegria e o próximo passo!”

DSC_8821

“Esse movimento é intenso, mexe, provoca, transforma cansaço em prazer, as dores em pontes entre as pessoas e o caminho…” – Foto: Lidyane Ponciano

Everardo de Aguiar Lopes
Brasília, 7 de novembro de 2014


Você também está convidado a se manifestar e a entrar no universo roseano vivido pelos caminhantes no Noroeste de Minas Gerais!

Siga com a gente pelo mundo virtual. Acompanhe nosso blog (http://ocaminhodosetao.wordpress.com) e os endereços nas redes sociais (https://www.facebook.com/caminhodosertao e https://www.facebook.com/sagaranafestival) .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s